Definição equivocada de bissexualidade no Identidade e Gênero

Prepare um café e sente-se confortavelmente porque isso vai ser longo.

 

Resumo da história:

Sofia Fávero, do site Identidade e Gênero, publicou uma definição de bissexualidade (numa página que deveria diferenciá-la de pansexualidade) dizendo que é atração por mulher e homem cis e binários, e que se muito, uma atração a homem e mulher trans apenas em caso de que tenham passabilidade cis.

Vi isso publicado em um grupo que participo e fui comentar lá. Expliquei em detalhes os erros sem criticar nem chamá-la de bifóbica, porque aceito que a pessoa pode simplesmente não saber.

Outras pessoas também comentaram mas nenhum comentário foi aprovado e hoje a página já mudou, porém não melhorou muito.

Fim do resumo, abaixo passo a detalhar.

 

[edit]: A Sofia veio me procurar, conversamos como eu havia proposto e agora há uma nova versão, onde alguns pontos escritos aqui foram trabalhados, além disse os comentários de companheiras (algumas do bi-sides) foram publicados e respondidos.

__________________________________________

 

Não linkei a página alí em cima porque ela foi alterada e isso descontextualiza um pouco. O texto que eu li e comentei, tirando do cache do dia 19 era esse que copio aqui:

“Bissexual é a pessoa que se atrai afetivamente, romanticamente e/ou sexualmente pelo modelo binário Homem e Mulher Cis – Em alguns casos, também se relaciona com o Homem e Mulher Trans, creio que aqui entre em pauta a questão da passabilidade cisgênera, se a pessoa trans* em questão tiver uma aparência muito andrógina, deixará de ser o objeto de desejo de quem é bissexual.

Pansexual é a pessoa que além de se relacionar com Homens e Mulheres Cis e Trans, também se relaciona com pessoas não binárias, entre elas: Transgênero, Bigênero, Gênero Neutro, Gênero Fluido, Agênero, Andrógino, Genderqueer e etc.

Essa noção de que pessoas Pansexuais se relacionam com árvores é equivocada.

Pra concluir, toda pessoa Pansexual é Bissexual, mas nem toda pessoa Bissexual é Pansexual.”

Postei um comentário que não foi aprovado que também copio aqui:

Daniela
19 JUL 2014 ÀS 22:33

Seu comentário está aguardando aprovação.

Oi, tudo bom?

Sou Daniela Furtado, escrevo no blog do bi-sides (coletivo bissexual) e tenho algumas coisas a dizer sobre o que você postou aqui.

Primeiro que não vou tirar pedra e te chamar de bifóbica ou coisas assim, acho que a intenção é bacana e é sempre bom quando alguém mais ajuda a aclarar que pansexual não trepa nem com planta nem com bixo, sem contar o super óbvio de assumir de bissexuais existem, que apesar de óbvio parece novidade pra mais de meio mundo.

Mas a definição colocada aqui tem alguns problemas. O primeiro e mais fácil é a definição de que bissexuais se atraem apenas a pessoas cis. Essa idéia vem por dois caminhos: 1 – de fato a bissexualidade definiu por muito tempo o que seria uma sexualidade binária, e agora o próprio movimento bi está mudando isso 2 – ser binário, ainda que QUASE SEMPRE seja interpretado assim e o cistema coloque assim, não significa ser cissexista, quer dizer, se eu digo, gosto só de homem e de mulher, seja trans ou cis, minha sexualidade é sim binária, só não é cisexista. Ok que o binarismo geralmetne vem de mãozinha dada com o cissexismo etc, mas incluir pessoas trans não significa necesariamente sair do binarismo afinal trans não é um terceiro gênero, uma mulher trans é uma mulher e um homem trans é um homem. Esses dois pontos levam a corrigir a definição tirando a exclusividade cis.

Só que não pára aí. Outro ponto importante para nós bissexuais é que como movimento, resignificamos a palavra bissexual, nos apropriamos dela e por termos uma variedade de sexualidades que justamente não se encaixam no binário nem na exclusividade cis, redefinimos como “atração por MAIS DE UM gênero” e aí cabe tudo o que a pessoa tiver a dizer sobre o que gosta ou não, incluindo a versão que você postou aqui que é muito comum.

Agora você deve ter percebido que isso aproxima muito bi de pan (inclusive pan é considerado como estando dentro do termo guarda-chuva bissexual), e é assim mesmo. A rigor, seriam a mesma coisa, porém pan geralmente é definido como “gostar de pessoa idependente do gênero” como fazem pessoas apagando bis, mas nesse caso não é bem apagamento tem é que ter coragem pra sair dizendo que é pan e aguentar povo pensando que somos zoófilos. Essa diferença na definição ainda não as faz iguais, mas ao mesmo tempo não se contradizem entre si, poderiam ser o mesmo. Mais de um gênero dá bola pro gênero e o multiplica, o tal genderblind (outra maneira como pan se definem) diretamente nega sua importância. Creio que o ponto está mais por aí, em dar ou não importância ao gênero.

Essa última parte é mais uma reunião de muita coisa lida nos últimos anos que algo que afirmo categoricamente, como as que disse sobre bissexualidade, parte disso porque essa discussão de qual seria a diferença ainda se dá e está longe de encontrar equilibrio.

Termino deixando uns links que corroboram meus comentário e podem trazer boa informação:

sobre a raiz “bi” ser interpretada como binário e sobre o direito de as pessoas de auto-identificarem: http://bisexual-books.tumblr.com/post/92176613727/yes-im-talking-about-it-again

a definição em um dos milhares sites que a explicam:http://www.bisexualindex.org.uk/index.php/Definitions

sobre não ser atraídos só por cis: http://rainbowgenderpunk.wordpress.com/2012/02/05/stuff-pansexuals-need-to-know/

É isso, qualquer cosia estamso aí pra conversar :)

p.s. dizer que bi só gosta de cis levando à conclusão de que só gostamos de trans se passam como cis levando a outra conlusão ainda de que não gostamos de andróginia exagera a coisa tanto que apaga as MUITAS pessoas homo e heterossexuais que sim gostam de pessoas andróginas (ex lésbica que gosta de bofinho). Isso as faria pansexuais? Esse comentário nem é sobre bis é mais sobre como essa coisa de androginia ficou meio deslocada sendo colocada assim, como sendo aceita só dentro da definição de pan, é como se essas pessoas n tivessem gênero.

O comentário ainda não foi aprovado, tão pouco os que fizeram outras companheiras bis e pan, talvez não seja nunca, pelo motivo que seja, e por isso eu o coloco aqui como fiz no grupo do bi-sides no face (com os erros e tudo :p).

 

A versão que vi no fim do dia seguinte já estava alterada, e é a que está no site agora, também copio aqui mas pode ser vista neste link (a menos que seja alterado novamente):

 

Bissexual é a pessoa que se atrai afetivamente, romanticamente e/ou sexualmente por um modelo binário, seja ele qual for. Esse modelo dual costuma ser a dicotomia Homem e Mulher Cis – Em outros casos, a pessoa bissexual também se relaciona com o binário Homem e Mulher Trans, creio que aqui entre em pauta a questão da passabilidade cisgênera, se a pessoa trans* em questão tiver uma aparência muito peculiar, deixará de ser o objeto de desejo de quem é bissexual. Bissexual pode ser todo aquele que se relaciona com dois gêneros, independente de qual ele seja. O que ocorre é uma base considerável de pessoas bissexuais que só se relacionam com pessoas cisgêneras.

Pansexual é a pessoa que além de se relacionar com Homens e Mulheres (Cis ou Trans), também se relaciona com pessoas não binárias, entre elas: Transgênero, Bigênero, Gênero Neutro, Gênero Fluido, Agênero, Andrógino, Genderqueer e etc.

Essa noção de que pessoas Pansexuais se relacionam com árvores é equivocada.

Pra concluir, toda pessoa Pansexual é Bissexual, mas nem toda pessoa Bissexual é Pansexual.

Pansexual é um termo guarda-chuva que abriga também os Polissexuais.

Monossexuais – Atração por um gênero.

Bissexuais – Atração por dois gêneros.

Trissexuais – Atração por três gêneros.

Polissexuais – Atração por vários gêneros.

Pansexuais – Atração por todos os gêneros.

Que como vocês podem ver, se tinha a intenção de melhorar não fez um serviço muito bom.

Tudo que quero dizer aqui creio que já fica entendido com o comentário que tentei fazer na tal página, mas vamos lá, por partes, desenhando tudo.

Pra facilitar e não ter que repetir frases muito longas, vou identificar afirmações sobre a definição de algum termo com números e as críticas e opiniões e etc com letras.

Agora, no texto das duas versões, Sofia diz que:

(1) Bissexuais se atraem afetivo/romantico/sexualmente por um modelo binário.

Em seguida agrega:

(2) O modelo binário pelo qual os bissexuais se atraem pode ser cis ou trans.

(As afirmações (1) e (2) estão escritas de forma diferente, na segunda versão tá sobreexplicado, mas não muda em nada o sentido.)

E especifica na primeira e na segunda versão respectivamente:

(3) Bissexuais se atraem por trans apenas se esse trans tem passabilidade cis, e se tiver aparência andrógina, os bissexuais já não sentirão atração.

e

(3*) Bissexuais se atraem por trans apenas se esse trans tem passabilidade cis, e se tiver aparência “muito peculiar”, os bissexuais já não sentirão atração.

Ficamos por enquanto neste parágrafo. As afirmações (1) e (2) não se contradizem, porém se baseiam numa idéia de bissexualidade de senso comum, portanto muito difundida, de que

(4) bi = 2, portanto bissexualidade = atração por 2 gêneros.

Definição essa que não está incorreta pra quem viajou na máquina do tempo até 30 anos atrás e gostou tanto que não voltou mais. Só que hoje, 2014, uma jovem porém importante história de movimento bissexual vem redefinindo bissexualidade de uma maneira que a livre do binarismo, não porque todes bis não são binários, mas porque muites não são e não se sentiam representades pela definição binária, tinham que abrir essa definição para que represente a todes nós.

Tem muito bi binário? Sim. A maioria? Provável. (1) define bem essas pessoas? Super. (1) somado a (2) define vários outros? Afirmativo. Agora para não falar só de alguns (sejam a maioria ou não) bis e passar a falar de TODES: existe bi não binário? Sim. São vários? Sim e dentro do movimento bi são maioria, senão a definição do termo não haveria mudado pra começo de conversa.

Tempo pra respirar fundo e deixar essa simples verdade fluir para dentro do teu cérebro………

 

Pronto? Então seguimos.

 

Tem bi binário representado por (2) que gosta da pessoa mesmo sendo andrógina? Sim de novo. (3) a representa? NÃO.

Uma definição de orientação sexual que exclui experiências de pessoas que se identificam com tal orientação sexual é uma definição incorreta.

O que talvez ela queira ter tocado, e o fez com o método infeliz de dar uma definição errada [formada por (1),(2),(3) e (3*)] é na possível invisibilização dada à transfobia (ou à preferência exclusivamente cis por bis) pela seguinte definição feita e amplamente aceitada pelo movimento bissexual:

 

(5) Bissexual é a pessoa que sente atração por pessoas de mais de um gênero.

 

Formalizando tal crítica nas duas versões temos:

(a) A definição (5) esconde a transfobia  (ou preferência exclusivamente cis por bis) inerente à bissexualidade.

e

(a*) A definição (5) esconde a transfobia  (ou preferência exclusivamente cis) de “uma boa base de bissexuais”

 

A maneira de tentar salvar a generalização é digna por um lado, mas bastante imprecisa (o que é uma boa base?) e inútil por outro. Inútil porque (a*) está inserida na segunda versão que continua contendo a afirmação generalizadora (1) e o entrave ao possível livramento bi do sistema com (3) e (3*) que quase negam (2).

Cabe um esclarecimento: que não querer ficar com trans seja automaticamente transfobia é algo que se pode discutir, porém é bastante provável que a autora esteja considerando transfobia, coloco os parentenses para aquelas pessoas que não concordam com essa posição, entenderem qual é o ponto que quero marcar aqui.

Acontece que ela ignora algo bastante lógico. Ainda que a crítica à transfobia, venha de onde venha, seja sempre válida e necessária, não tem sentido que (a) e (a*) estejam dizendo uma verdade absoluta sobre (5) porque (5) em nenhum momento diz “mais de um gênero cis”, (5) simplesmente faz o trabalho de abarcar a experiência de pessoas bissexuais que não são representadas pelas definições (1) e (2).

 

E já que começamos a falar da definição (5), essa é a definição do próprio movimento bissexual, que teoricamente tem mais direito e é mais preciso ao falar de bissexualidade. Teoricamente porque isso só é válido se aceitamos a seguinte opinião bastante aceita no movimento LGBT:

(b) O coletivo de pessoas (ou bem os movimento de) trans/lésbicas/gays tem o direito de definir respectivamente o que é ser gay, lésbica, trans.

Que vem com um esperável:

(b*) Nenhuma definição do que seja ser trans/lésbica/gay feita por pessoas ou movimentos que não sejam respectivamente trans/lésbicas/gays deverá ser aceita ou imposta por sobre a criada pelas próprias pessoas que se identificam assim e seus respectivos movimentos.

Como eu disse, teoricamente isso deveria valer também para bis e pansexuais, mas costuma não ser assim e com isso não estou falando do texto do Identidade e Gênero, estou falando de todas as pessoas monossexistas do mundo, hétero homo, fora ou dentro do movimento que acham que tem mais direito de dizer o que somos que nós mesmos. Se começamos a negar (b) e (b*) às pessoas trans, lésbicas e gays como comumente se faz com pan e  bissexuais, teremos que aceitar aberrações como “lésbica é mina que ainda não foi comida direito” “gays são vetores de HIV” “transexualidade é uma doença mental”. Novamente deixe essa verdade percorrer seus neurônios. É simples, lógica e faz bem.

 

Aceitando (b) e (b*), pra não ser bifóbico só falta terminar de completar a curva, ser lógico, racional e aceitar o que segue:

(c) O coletivo de pessoas (ou bem os movimento de) pan e bissexuais tem o direito de definir respectivamente o que é ser pan e bissexual.

e

(c*) Nenhuma definição do que seja ser pan ou bissexual feita por pessoas ou movimentos que não sejam respectivamente pan e bissexuais deverá ser aceita ou imposta por sobre a criada pelas próprias pessoas que se identificam assim e seus respectivos movimentos.

Agora sim falando do Identidade e Gênero, é algo inesperado que um site sério caia no erro de negar (c) e (c*), o que resulta em bifobia mesmo que a intenção não seja essa. O equivoco, apagamento e talvez nesse caso o silenciamento bissexual é bifobia. E se não é intencional antes de se ter conhecimento depois fica difícil se defender. É esse ponto o que tem incomodado as várias pessoas que se levantaram para discutir isso no grupo do bi-sides quando o grupo surgiu, e não vamos aceitar isso. Não vamos aceitar que pessoas monossexuais venham nos dizer o que somos.

O que nos leva de volta a (4). Embora a interpretação dada por (4) seja a mais intuitiva e por tanto não tão culpável ao induzir ao erro, esse argumento não tem porque ser usado por pessoas de dentro do movimento que supostamente estudam, se informam sobre o movimento, dão bola pra cada uma das letrinhas e sabem que (b), (b*), (c) e (c*) são verdade e por tanto devem antes de sair falando qualquer coisa, ver o que NÓS bis e pansexuais falamos e encontrar que já faz tempo que dizemos que (5) é a definição que nos abarca a todes, em toda nossa diversidade de experiências.

Considero que algumas pessoas podem continuar com dificuldade em entender que apesar da intuitividade de (4), (5) deve ser considerado. E bom, sinto muito, embora exista uma larga explicação pra isso (um pouco dela está no link que eu citei no comentário) (c) e (c*) deveriam ser plenamente suficientes para que (5) seja aceito não importa o quão incômodo seja isso. Sabe o que é incômodo? Bifobia.

 

Tudo que eu disse até agora deveria ser suficiente para que o texto seja reescrito de maneira tal que (3) e (3*) nem tenha chance de reaparecer, mas como ainda está lá, tenho que comentar. Em primeiro lugar, o que se quer dizer com aparência aqui? Porque dentro do enquadre de que somos todos ou “uma boa base” cissexistas na nossa atração, seria todo um problema a relação com pessoas trans que tem passabilidade só até um certo nível de aproximação por exemplo, coisa que a vaga definição (2), junto com a especificação (3) não responde.

Agora, atração é algo extremamente subjetivo e complexo e com isso não digo que não seja influenciado por fora por preconceitos, fobias, ismos etc, e sim que não dá pra simplesmente dizer de fora o que uma pessoa sente lá dentro. E nesse enfoque eu gostaria de entender em quantos cérebros a autora entrou pra calcular o coeficiente de passabilidade e de não androgina é permitido a gente gostar se ainda quiser se identificar como bi. Gostar de uma menina bofinho por exemplo (seja cis ou trans), ainda entra na categoria bi?

Não sei exatamente por qual razão na segunda versão (3) que já estava mal explicado se muda a (3*). Como é que (3*) resolve isso eu não sei, porque “peculiar” não diz nada. Se não é ter passabilidade o que é? Ser feio ou bonito? Onde que ter aparência peculiar entra na definição de o que é uma orientação sexual? Sei lá, to começando a pensar (olhando meu passado) que além de bi e pan, sou peculiarsexual.

 

E tem mais, algo que não está no comentário e enfim, nem pensei apesar de ser um óbvio ululante que é: e as pessoas trans bissexuais? Onde se localiza a pessoa trans que é bi, só gosta de cis? Só gosta de trans binário com passabilidade cis? Ou simplesmente não existem? Oo

Fico meio sem saber o que dizer aqui… A guria que escreve o texto é trans e hétero e por alguma razão, considerou toda a experiência de pessoas trans rechaçadas por bissexuais mas em nenhum momento lhe passou ela cabeça que existem pessoas trans bissexuais. Ou passou e não deu bola o que seria ainda mais absurdo. (1), (2), (3) e (3*) simplesmente riscam as pessoas trans do mapa bi ou afirma que elas estão lá mas sofrem de transfobia internalizada galopante (uma pessoa trans peculiar e bi seria apesar de tudo peculiarfobica? fica aí a pergunta). Mesmo considerando que bissexualidade fosse exclusivamente binária, o texto cai no absurdo de negar a existência de trans bi ou reexplicar de uma maneira que não creio que uma trans ativista faria.

Eu porque quero dormir tranquila quero pensar que simplesmente não lhe passou pela cabeça…

 

Seguindo: tudo ok com a definição de pan (aleluia, irmãos) mas o que aconteceu com meu guarda-chuva bissexual que tava aqui? Deixei secando e trocaram por um guarda-chuva pansexual, que loucura.

Em primeiro lugar, existe o termo guarda-chuva pansexual. É bem menos difundido que o bi, e teria o bi dentro dele. Sobre isso digo de entrada que não acho que seja um problema em si. Entendo que muitas pessoas pan prefiram se identificar assim, independente de (5) quando conhecem mas mesmo assim não se sentem confortáveis com o binarismo sugerido pela raiz bi ou porque creem firmemente que (4) e seja como for, a pessoa se identifica como quiser.

Só que o guarda-chuva bissexual também existe, é muito mais difundido e ajuda muito a compreensão geral já que B está em LGBT e P não. O texto deveria no mínimo citar que existe esses dois conceitos de guarda-chuvas de termos, onde bi e pan trocam de lugar. Não acho ruim no futuro pensar em uma sigla onde B seja substituido por P e TODES ENTENDAM o que é. Mais sobre isso em algum post futuro porque no momento estamos falando do Identidade e Gênero, que na hora de escolher qual guarda-chuva publicar, publicou só um e só o menos usado. Não entendo sinceramente o objetivo disso, me parece que seria muito mais saudável para todes e muito mais representativo, apresentar ambos guarda-chuvas, em lugar de simplesmente apagar o bissexual.

Aproveito que estou aqui e agradeço, embora não seja nenhum favor, que mais uma pessoa espalhe pro mundo que ser pansexual NÃO É TRANSAR COM ÁRVORE nem zoofilia. Aquele abraço pela visibilidade pan.

E pelo menos me autorizaram a continuar me identificando tanto como pan quanto como bi:

Pra concluir, toda pessoa Pansexual é Bissexual, mas nem toda pessoa Bissexual é Pansexual.

Em suma, o que tentei explicar aqui é que apesar de a crítica sobre cissexismo de pessoas bissexuais (e mono, obviamente) ser válida, talvez porque (5) possa ser interpretada como uma tentativa de invisibilizar tal crítica, o coletivo de pessoas bissexuais não merece e não deve aceitar que uma pessoa mono nos redefina assim do nada, pra fazer uma afirmação política própria. A nossa definição bem como as definições de trans, lésbicas e gays não pode ser alterada por gente que não se inclui nelas em nome de uma discussão, e tal discussão não depende de bifobia para que possa ter lugar. Digo mais, essa discussão pode ter lugar em qualquer lado, sem ser bifóbica e o bi-sides está aberta para recebê-la, elaborar debater etc. Só por favor não nos redefinam. Não nos silencie.

 

Juro que já tá terminando…

Trisexual? Sério? Sério mesmo?

De memória não consigo lembrar de uma aparição dessa palavra (em inglês, portugês e espanhol) que não fosse piada ou algum famoso querendo chamar a atenção de verdade ao mesmo tempo que apagando bis e pansexuais. Poli, omni etc são usados e estão dentro de qualquer um dos guarda-chuvas, bi ou pan, e tem significados não tão numéricos… Não estou dizendo aqui que seja inválido (inclusive em inglês se pode entender como um jogo de palavras com try (experimentar) em trysexual) só que se vai entrar na lista, que entre as dezenas de outros nomes de experiências muito particulares e específicas que abacarcam os guarda-chuvas bi e pan.

Como disse, de cabeça não lembrava e cavando um pouco se encontra algo, perdido em um oceano de piadas e gente tentando chamar atenção enquanto nos apaga. E não vou negar a validade de se identificar assim, mas repito, se algo desse nível de relevância será tratado nessa lista, que entre tudo, ou a intenção de informar fica incompleta, capenga e entorpecida (ok já tava assim mas enfim).

 

[edit]:

Como anunciado do resumo, essa é a nova versão, publicada ontem, que você pode ver no original clicando aqui. Vale esclarecer que apesar de termos conversado, Sofia apenas buscava orientação, o texto é inteiro dela.

Bissexual é a pessoa (Cis ou Trans*) que se atrai afetivamente, romanticamente e/ou sexualmente por mais de um gênero, seja ele qual for.

Pansexual é a pessoa que além de se relacionar com Homens e Mulheres (Cis ou Trans Binários), também se relaciona com pessoas não-binárias, entre elas: Transgênero, Bigênero, Gênero Neutro, Gênero Fluido, Agênero, Andrógino, Genderqueer e etc. Essa noção de que pessoas Pansexuais se relacionam com árvores é equivocada e desrespeitosa.

A pansexualidade e a bissexualidade se mesclam de diversas formas, sendo a bissexualidade definida como a atração por mais de um gênero, ela também engloba a atração por pessoas trans*. A posição política da bissexualidade não é binária, a pessoa bissexual é aquela que tem atração por mais de um gênero, não necessariamente serão dois. Porém, o movimento bissexual procura se desvincilhar dessa noção gramatical e social que remete a atração apenas ao binário cisgênero, enquanto a posição política da palavra pansexualidade não possui esse estigma dual. Ou seja, dependerá da pessoa querer adotar o termo pansexual para erradicar qualquer noção de orientação binária que a bissexualidade possa possuir ou simplesmente porque se sinta mais representada dessa forma.

Pra concluir, toda pessoa Pansexual é Bissexual, mas nem toda pessoa Bissexual é Pansexual.

Pansexual é um termo guarda-chuva que abriga também os Polissexuais.

Monossexuais – Atração por um gênero.

Bissexuais – Atração por mais de um gênero.

Polissexuais – Atração por vários gêneros.

Pansexuais – Atração por todos os gêneros.

Porém! Bissexualidade também serve de guarda-chuva por conta do B comportar mais visibilidade dentro do movimento LGBT, que apesar de pouca, ainda é maior. Essa orientação sexual é mais compreendida socialmente do que a questão da pansexualidade.

Comentários

5 thoughts on “Definição equivocada de bissexualidade no Identidade e Gênero”

  1. Minha namorada eh bi, eh kasada com homem e agora vamos viver a trez, e ela sofre mais preconceito por parte das lesbikas do que pelos heteros, e isso me maxuka muito

  2. Muuuuuuuuuuuuito obrigada!
    Muito obrigada MESMO!
    Eu não tinha visto o post no blog da Sofia, só acompanhei a discussão sobre “todo bi é cissexista” no grupo Transparência no Fb. Até comentei argumentando, mas esse texto demonstra PROPRIEDADE esclarecendo TUDO o que deveria ser esclarecido. Quero agradecer porque eu me senti silenciada com aquela discussão, inclusive fiquei muito decepcionada e até conversei com meu namorado sobre o assunto (que é um homem trans) porque me senti como se não pertencesse a lugar nenhum HAH. Porque sou bi, já me envolvi com andrógenos, namoro um homem trans, já namorei mulheres femininas, homens cis e fiquei olhando a definição pensando: “mas isso não me representa”.
    Então quero deixar claro que é MUITO importante essa iniciativa, principalmente porque a visibilidade bi REALMENTE é bem pouca (isso no quesito visibilidade clara, fundamentada, porque a visbilidade = confusos, indecisos blablabla é grande) e esse site é incrivel.
    Me senti completamente representada e agradeço por isso. ♥

    1. Oi Marina

      Eu é que agradeço, é muito bom ter esse retorno, saber que nosso trabalho está dando o resultado que tem que dar: fazer com que cada vez menos bissexuais se sintam isolados. Representação importa! E muito. Eu me senti como você quando encontrei o movimento bissexual extrangeiro, junto com a sensação de que ele era muito necessário aqui. É o que estamos fazendo, e você é parte disso. Obrigada 🙂

Comments are closed.