Existência da bissexualidade, uma análise -quase- exaustiva

É assuntinho batido, mais velho que andar pra frente, tao velho quanto essa “nova moda” de ser bissexual e nao vou rebater – rebater é fácil e vazio – mas prometi no vlog que ia escrever e aqui está, formalizadinho bonitinho.

 

1. Argumento simples da Inexistência ou, como eu gosto de chamar, Argumento Ontológico*.

 

Este argumento define as condições de existência de uma pessoa bissexual em duas fases: primeiro a pessoa deve cumprir as condicoes de existências de pessoa e depois deve cumprir as condicoes de existência de seu atributo bissexual.

As condições de existência de pessoa não sao explicitas mas não é dificil inferir que sejam as mesmas para qualquer outra pessoa, coisas como possuir um corpo, estar vivo, que nesse corpo viva um sujeito de experiência, enfim, essa parte é fácil cumprir.

–Pode parecer estranho e desnecessário dizer isso mas não é não, serve pra evitar o contra argumento que diz “se negar que bi existe então está negando que eu que sou bi existo” e não é bem assim, não nega  a existência das pessoas que se identificam como bi, nega a verdade de tal identificação. O exemplo que eu dei no vídeo serve para mostrar isso: dizer que as pessoas não podem voar não é dizer que as pessoas que acreditam que podem voar não existem, e sim que a crença não é verdadeira. Entendido? Pois, a diferença é que coisas como gente voando está bastante provado que é impossível, não acontece o mesmo com bissexualidade (apesar das tentativas frequentes).–

Já as condições de existência de bissexualidade não estão explicadas de maneira positiva, e sim negativa, já que a pessoa bissexual não cumpre as condicoes de exsitência do atributo monossexual, portanto é o atributo monossexual que define as condições de existência para qualquer orientacao sexual. É aqui que vamos buscar essas condições.

Ser monossexual implica necessariamente sentir atração por pessoas de apenas um gênero, em um sistema binário onde o gênero do objeto de desejo poderá ser, de maneira exclusiva, ou o mesmo gênero do sujeito que deseja ou o gênero oposto ao do sujeito, repectivamente homo e heterossexualidade. Agora que entendemos quais sao as condições de existência do atributo atração sexual, então vemos facilmente como a bissexualidade nao as cumpre. Pessoas bissexuais, mesmo considerando a definição de que se atrai por ambos sexos do sistema binário (e não todos ou vários) não cumpre com a condição de ser atração a apenas um e com exclusividade.

Ora, o argumento em sua lógica está correto, mas só podemos aceitar a conclusão se acreditamos na premissa que defende que as condições de existência de uma orientaçao sexual sejam as mesmas que as da monossexualidade, porém nao há evidência de que a premissa seja verdadeira, não existe prova de que atrair-se por mais de um genero seja impossível, pelo contrário existe muita evidência de que é, portanto a premissa é (muito provavelmente**) falsa, do que podemos inferir que a conclusao do Argumento Ontológico é falsa também.

 

2 . Argumento da Inexistência por Desajuste às Regras Cagadas Pela Sociedade ou, como gosto de chamar: o Argumento Moral.

 

Este argumento embora não diga que nao existimos, tem a intenção de nos desqualificar como pessoas com uma certa orientacao sexual, somos considerados pessoas monossexuais com uma falha de caráter que nos faz atuar bissexualmente. Existimos porém não na mesma categoria.

Este argumentos tem duas versões, vou separar em A e B.

O argumento A assume que as pessoas monossexuais são todas 100% monogamicas e fiéis, nunca trocam uma pessoa por outra, não sentem que lhes falta nada sexual ou afetivamente nunca e são e seguras sobre tudo relacionado a sua sexualidade e afetividade desde o dia que nascem até sua morte. As pessoas bissexuais, infelizmente, nao tem essa mesma capacidade conferida apenas pela monossexualidade, portanto são, intrisicamente, pessoas  gananciosas que querem putaria, traidores, indecisos e gente confusa em geral.

O argumento se quebra em sua primeira premissa já que é muito explicitamente visível que pessoas monossexuais (ainda que nao todas, obviamente) também podem trair, te trocar por outra, só querer putaria, serem indecisas etcetcetc.

O argumento B é uma versão fraca do argumento A e tenta corrigir sua falha na primeira premissa e diz o seguinte: apenas algumas pessoas monossexuais traem e trocam pessoas e querem putaria e estão indecisas, enquanto que todas as pessoas bissexuais o fazem. Relativizando o primeiro grupo não ajuda muito a totalizar o segundo, já que ao relativizar se coloca em claro que a orientação sexual monossexual, seja ela hétero ou homo, não está necessariamente atrelada a uma perfeicao moral, o que não explica porque a bissexualidade seria intrinsicamente imoral, já que cada caso é um caso e não se apoia uma dicotomia que provaria (nem que seja só por intuição fajuta) de que o outro lado é todo o contrário.

A dicotomia forçada de A ao ser suavizada impede forçar a barra em B, típico de argumentos de merda.

 

É isso.

 

 

*Ontologico é sobre o que existe ou não 

 ** né, vai que provam que a gente tava tudo sonhando na matrix com cabos pelo corpo e na verdade sexo nem existe, aí acho que ser bi será impossível mesmo.

Comentários