A lista de Privilégios Monossexuais

Esta é uma tradução da Monosexual Privilege Checklist, da ativista bissexual Shiri Eisner, autora do livro Bi: Notes for a Bisexual Revolution, e que está tanto no livro quanto em seu blog, o Radical Bi.
_____________________________________________

 

Nota sobre a terminología:
Sou consciente da problemática de usar uma estrutura binária como a monossexual/bissexual, no entanto me permito usá-la como uma ferramenta política e analítica com o objetivo de expor  relações de poder desiguais numa sociedade que já opera nesse binário. Além disso, não é menos binário falar sobre monossexual/bisexual do que é falar sobre cisgênero/trangênero, masculino/feminino, branco/negro ou hétero/queer. O fato de que o movimiento bisexual é o único que enfrenta frequentemente a acusação  de binarismo por argumentar de maneira similar a de outros movimentos é, no mínimo, suspeito.

Uso o termo “bissexual” como um termo guarda-chuva, incluindo qualquer pessoa atraída por pessoas de mais de um gênero, que se identificam como bissexual, pansexual, fluido, queer, heteroflexível, homoflexível, ou qualquer outra identidade no espectro bi, e que se consideram parte do movimiento/comunidade bissexual.

Defino “monossexual” como qualquer pessoa atraída a não mais que um gênero e que se identifica assim (incluindo heterossexuais, gays e lésbicas).

Defino “privilégio” como algo que a sociedade concede a alguns e nega a outros

 

O aviso obrigatório diz:

Ao compilar uma lista de privilégios monossexuais, não tenho a intenção de sugerir que todos as pessoas monossexuais são a mesma, nem pretendo sugerir que eles aproveitam nada mais que privilégio. Disparidades de poder existem por todo o mapa social, e monossexuais podem, como qualquer grupo, estar em uma posição ruim neste mapa. Alguns dos pontos descritos são naturalmente os compartilhados por pessoas de outros grupos marginalizados – pessoas passam por formas semelhantes de privilégios ou opressões através de identidades diferentes, e a lista não foi feita para ser estritamente exclusiva. E, é claro, essa lista seria mais precisa o quanto mais privilégios a pessoa em questão possuir (como homens, pessoas brancas, heterossexuais, cisgêneros, etc.). Além disso, não é minha intenção sugerir que todos os bissexuais são oprimidos e não desfrutam nenhum privilégio – muitas pessoas bissexuais pertencem a grupos que desfrutam privilégios. Como em qualquer outra área da vida – e todos temos que lidar tanto com nossas opressões quanto com nossos privilégios. Por favor, leve isso como uma oportunidade.

 

Esta lista inclui algumas idéias que eu peguei da lista de privilégios masculinos, da lista de privilégios de pessoas brancas, da lista de privilégios heterossexuais e estas duas listas de privilégios cisgênero*. Leia elas. (NT: todos os links para textos em inglês)

 

Estar apta a escrever uma lista de privilégios não é transparente para mim: vários privilégios me beneficiam enquanto a escrevo. Sou uma cidadã judía de Israel (e por tanto tenho acesso a muitos direitos civis negados a palestinos); falo inglês; tenho curso superior ; tenho (tive) acesso à  textos acadêmicos e políticos sobre bissexualidades e teorias e políticas queer; tenho conexão à internet, acesso a computador e as habilidades técnicas requeridas para operar um computador; apesar de não ser totalmente livre de deficiências,  posso usar minhas mãos para digitar e meus olhos para ler (embora com auxílio de óculos). Esses são privilégios são os que eu recordo possuir, e me permitiram escrever este post (e provavelmente são bem mais). Ao ler a lista, por favor considere seus próprios privilégios à luz deste parágrafo e da lista em si.

Esta lista está longe de ser exaustiva. Eu lhes peço para responder e adicionar mais tópicos, pois irei editar a lista com os relevantes que forem citados:

(NT: o pedido de resposta é para blog onde o texto está publicado originalmente) 

 

A lista de privilégios monossexuais:

 

1-      A sociedade assegura que minha identidade sexual é real e que pessoas como eu existem.

2-      Quando eu abro minha orientação sexual para outrem, acreditam em mim sem requerer provas (normalmente pedindo para que conte minha história sexual e romântica).

3-      Eu possoter certeza de que, ao declarar minha identidade sexual, as pessoas aceitarão que essa é minha identidade sexual real (ao invés de presumir que estou mentindo ou simplesmente errado).

4-      Nunca consideram que estou dentro do armário ao me abrir sobre minha sexualidade.

5-      Consideram que tenho mais autoridade em definir e julgar bissexualidade que pessoas que se identificam como bissexuais.

6-      A percepção e aceitação da minha sexualidade é geralmente independente de minhas escolhas de parceiros, relacionamentos e estilos-de-vida.

7-      É pouco provável que assumir minha sexualidade em um contexto não-sexual será levado como um indício de disponibilidade sexual ou consentimento.

8-      Posso ser confiante de que pessoas não irão renomear minha sexualidade ou usar palavras diferentes das minhas para descrever minha identidade.

9-      Quando vista(o) com minha(meu) namorada(o), posso ter certeza que serei reconhecida(o) como membro do grupo da minha identidade sexual por membros da minha comunidade.

10-   Eu não tenho que escolher entre invisibilidade ou ser constantemente considerado(a) um “outro” ou um token na minha comunidade baseado na minha sexualidade.

11-   Nunca me acusam de apoiar o heteropatriarcado** ou privilégio cisgênero por usar a palavra que uso para identificar minha sexualidade.

12-   Me sinto bem-vinda(o) com serviços apropriados ou eventos que são segregados por sexualidades, como eventos héteros, gays e lésbicos.

13-   Posso confiar em que se eu entrar em um relacionamento monogâmico, meus amigos, meu meio de convívio ou parceiro(a) vão continuar aceitando minha sexualidade sem esperar ou pressionar que eu a mude.

14-   Não preciso me preocupar sobre potenciais parceiros mudando instantâneamente de relações amorosas para desdém, humilhações, violência verbal e sexual por causa da minha sexualidade.

15-   Posso entrar em um relacionamento poliamoroso sem ser acusado de reforçar estereótipos contra o grupo de minha identidade sexual.

16-   Posso encontrar de maneira relativamente fácil pessoas da minha sexualidade e meu estilo de vida na mídia e carreiras artísticas. Encontro essas representações sem ter que pesquisar muito.

17-   Se eu encontrar uma figura histórica, ficcional ou famosa da minha sexualidade, posso ter uma confiança razoável de que terá sua sexualidade nomeada corretamente pela mídia, crítica e público.

18-   Frequentemente encontro a palavra que uso para me identificar na mídia ou em meios artísticos. Quando ouço ou leio, é menos provável que eu encontre um contexto que irá negar sua existência.

19-   Posso encontrar, de maneira consideravelmente fácil, matérias de leitura, instituições, representações midiáticas etc que dêem atenção especificamente para pessoas da minha identidade sexual.

20-   Tenho certeza que a linguagem do cotidiano irá incluir a minha sexualidade. Ex: “tanto héteros quanto gays”, “gays e lésbicas” etc.

21-   Se eu for cisgênero, é muito menos provável que sofra por violência íntima e sexual.

22-   Se eu for cisgênero, é menos provável que eu sofra depressão ou contemple suicídio.

23-   Se eu for cisgênero, é muito menos provável que seja pobre.

24-   Tenho maior probabilidade de me sentir confortável me abrindo sobre minha sexualidade no trabalho.

25-   Tenho acesso à informação sobre prevalência de DST’S na minha comunidade, bem como métodos de prevenção apropriados para mim (por exemplo, pesquisando na internet encontro muitos resultados acurados e acessíveis).

26-   Informação sobre prevalência de DST’s na minha comunidade, bem como métodos de prevenção mais apropriados para mim, dificilmente serão considerados como subsumidos aos de quaisquer outros grupos de identidade sexual.

27-   Se eu moro em uma cidade, é mais provável que encontre cuidados médicos que irão atender minhas necessidades particulares.

28-   Se sou cisgênero, é menos provável que arrisque minha saúde por evitar tratamento médico.

29-   Tenho o privilégio de não estar ciente dos meus privilégios.

 

* Cisgênero significa qualquer pessoa que se identifica com o mesmo gênero com o qual foi assignado ao nascer. i.e. não-trans* ou genderqueer

** Heteropatriarcado significa a norma masculina heterossexual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *